9 de julho de 2010

Novela das Oito

Não, o título não se refere a nenhuma obra de Manoel Carlos, nem de Glória Perez ou Walcyr Carrasco. Muito menos a atual produção de Sílvio de Abreu. Esta novela também não tem personagens vividos por grandes nomes da teledramaturgia brasileira. Mas mesmo assim, tem me feito ligar a TV todas as noites na Globo lá pelas oito horas da noite. Tem me feito suspirar. Tem me deixado com aquele sorrisinho nos lábios.

Em tempos de reality shows, acompanhar o casal William Bonner e Fátima Bernardes, tem sido no mínimo curioso. Ela cobrindo as transmissões da Copa do Mundo, na África do Sul. Ele aqui no Brasil, sozinho na bancada. Entre eles o Oceano Atlântico. Assim como em qualquer novela que se preze, nosso casal de protagonistas se ama e por força das circunstâncias está separado.

A preocupação com a rouquidão da amada, dias atrás, e a declaração postada no Twitter do jornalista (@realwbonner) onde ele escreveu as seguintes linhas: "O Rio só tem inverno a cada 4 anos. E cai no outono, na semana em que a Fátima embarca pra Copa.", não deixam dúvidas de que é uma história de amor.

A trilha sonora é que não está ajuda muito. O tradicional tam tam tantantam tam tam tam tam, tantantantam tantantantam, não combina com o momento. Eu substituiria por Quanto Tempo Demora Um Mês, do Biquíni Cavadão, que parece ter sido escrita sob encomenda.

Cada vez que começa o Jornal Nacional, imagino que a qualquer instante vamos ouvir um: "Amor, como estão as crianças?" ou um "Querida, onde você colocou aquela gravata amarela que eu ganhei da sua mãe no último Natal?" Mas não. Jamais presenciaremos tais diálogos em horário nobre. Nunca veremos o beijo do galã na mocinha. E o final feliz se resumirá num Boa Noite.

2 comentários:

  1. Lindo, lindo!
    Fiquei lendo e imaginando a cena!

    ResponderExcluir
  2. muito bom o texto, vc quase fez um enredo para o JN.
    Gostei daqui.
    Maurizio

    ResponderExcluir